03
nov

ESD utiliza aplicativo de realidade aumentada e modelagem 3D para tornar aulas mais lúdicas e interativas

Para a Escola São Domingos, os recursos tecnológicos ampliam as possibilidades de professores e alunos e trazem mais significado e motivação para o processo de aprendizagem. Por isso, a instituição inovou mais uma vez e agora utiliza nas aulas um aplicativo de realidade aumentada e modelos tridimensionais, recursos que integram elementos do mundo real com informações virtuais.

Por meio de uma parceria com a Microsoft, a Escola adquiriu um aplicativo americano chamado Lifeliqe, que oferece mais de 1.500 modelos tridimensionais em diversas áreas do conhecimento, como Geografia, Física, Química, Biologia e Matemática, entre outras.

“Com esse aplicativo, em vez de o professor fazer um desenho no quadro ou mostrar uma figura na apostila, por exemplo, basta ele acessar um dos modelos em 3D que estão disponíveis. Ele consegue girar esse modelo para várias direções e os alunos visualizam cada detalhe do elemento que está sendo observado. O conteúdo é apresentado de forma mais concreta, lúdica e interessante, possibilitando um aprendizado cada vez mais significativo para os nossos estudantes”, explicou a especialista em Tecnologia Educacional da ESD, Maria Carolina Pimentel.

O gerente de operações da ESD, Henrique Romano Carneiro, informou que, por meio do Setor de Tecnologia Educacional da instituição, o aplicativo foi disponibilizado para todos os professores da escola. “A nossa equipe passou por um treinamento e cada professor já tem a sua conta para acessar o aplicativo e utilizá-lo em suas aulas”.

O professor de Biologia da São Domingos, Diogo Moreira, foi o primeiro a usar a tecnologia e aprovou a experiência. Confira o que ele falou sobre a novidade.

 

“A ESD deu um passo gigantesco no que diz respeito à tecnologia”

 

“O grande diferencial do Lifeliqe é a modelagem tridimensional. É possível girar, aproximar, mudar os diferentes modelos de posição. Na Biologia, um dos maiores obstáculos para apresentar uma boa aula é o esquema visual. Para muitas disciplinas, textos e fluxogramas são suficientes, mas para a Biologia não. Quando você fala, por exemplo, da anatomia de um coração humano ou da anatomia do sistema circulatório de um inseto, é algo que pode ser impalpável para muitos alunos. Muitos sentem dificuldade em tirar a imagem 2D que está no livro e transformá-la em 3D na sua mente. O aplicativo quebra essa barreira e facilita a visualização.

O Lifeliqe também permite que a gente disponibilize para o aluno o modelo tridimensional que foi usado na sala de aula. Ele pode receber essa imagem e operá-la por conta própria, observar com mais detalhes em casa.

Outro ponto interessante é que, ao lado do modelo tridimensional, você encontra uma estrutura em tópicos. Por exemplo: você abre um modelo sobre o sistema digestório e vão aparecer tópicos como boca, faringe, esôfago e estômago. À medida que você clica em cada item, o aplicativo dá um zoom naquele órgão. Ele já traz uma estrutura muito próxima do que é a aula.

A realidade aumentada é outro atrativo. Você pode ser filmado e as duas imagens se sobreporem: a sua imagem na câmera será sobreposta com o modelo 3D. E o professor pode interagir com o modelo. Eu posso projetar um modelo 3D da estrutura de uma célula vegetal, por exemplo, e apontar as organelas como se o modelo estivesse na minha frente e eu atrás. Isso pode ser compartilhado com o aluno que está em casa e com o que está na sala de aula. É um impacto visual muito interessante.

O aplicativo oferece, ainda, inúmeras outras formas de informação visual, como uma galeria de fotos belíssimas em alta definição e o modelo zoom, em que encontramos imagens de microscópios sobrepostas.

Temos como observar, por exemplo, o fio de um cabelo humano a uma distância de um metro da cabeça da pessoa e ir aproximando até o ponto em que é possível ver as células do fio de cabelo com uma alta definição, em Full HD, com perfeição de detalhes e imagens reais de um microscópio eletrônico de varredura.

Ao final da aula, consultei as turmas com as quais usei os modelos 3D do Lifeliqe e a resposta foi quase unânime: os alunos disseram ter aprendido melhor o conteúdo que foi apresentado. Creio que a ESD deu um passo gigantesco em direção ao objetivo de se tornar uma escola que é referência também no que diz respeito ao uso de tecnologia de ponta.”

Diogo Moreira, professor de Biologia do Ensino Médio e de Ciências das turmas do 7º ano do Ensino Fundamental

 


voltar