Leitura na infância
26
maio

Leitura na infância: o professor e o ambiente escolar

Isllem Miranda Siqueira, professora de Educação Infantil na Escola São Domingos, localizada em Vitória, no Espírito Santo, tem uma certeza: os livros e as histórias contadas diariamente para os seus alunos contribuem para o desenvolvimento humano de cada um deles.  No momento de roda, em que os pequenos estudantes de quatro anos de idade sentam para escutá-la, o silêncio impera na sala. A pouca idade, no entanto, é o suficiente para dar asas a imaginação. 

“A concentração das crianças é incrível. Elas conseguem se desligar em meio a quantidade de estímulos que recebem e a curiosidade por novas descobertas, e prestarem atenção somente na história. Não importa mais o barulho da porta, o inseto que pode aparecer… Importam apenas os personagens, o que eles estão ouvindo, imaginando, criando e sentindo dentro de si”, salienta a professora. 

A Escola São Domingos é um exemplo de instituição onde o estímulo à leitura começa a partir dos dois anos de idade, na Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica. É nessa fase da vida que, de forma lúdica e prazerosa, as práticas educacionais contribuem para a articulação de experiências e saberes do indivíduo, desenvolvendo habilidades como linguagem, atenção, concentração, capacidade de externalizar seus sentimentos, facilidade de interação social, dentre outras. 

Diariamente, os pequenos estudantes vivem momentos momentos de roda na sala de aula, onde, conforme foi descrito pela Isllem, os professores se tornam também assíduos contadores de histórias, responsáveis por dar aulas à imaginação. A sala de aula, no entanto, é apenas um dos espaços de incentivo à leitura, pois, semanalmente, as crianças da Educação Infantil frequentam a Brinquedoteca da instituição, que tem a infraestrutura adequada para recebê-los. 

Prateleiras com livros ao alcance dos pequenos, mesas e cadeiras que possibilitam a troca de experiências com os colegas, livros adequados para as fases de desenvolvimento da criança, preparando-as para o Ensino Fundamental e, sobretudo, para a vida. A biblioteca é mais um dos locais onde os alunos aprendem que “Ler é gostoso”. 

Projeto Ler é Gostoso 

Qual foi o primeiro livro que você leu? E como era este livro? Como o livro chegou até você? Você lembra da primeira biblioteca que frequentou em sua vida? Essas perguntas são fáceis de responder para quem fez a Educação Infantil na Escola São Domingos. Semanalmente, os pequenos estudantes da instituição são levados à Brinquedoteca, onde têm contato com livros infantis cheios de ilustrações,relevos, cores e formas que chamam atenção. De página em página, eles aprendem que a premissa básica que dá nome ao projeto, “Ler é Gostoso”. 

“Nessa fase da infância, a criança ainda não sabe ler, decodificar as letras. Mas, ainda, sim, é fundamental o contato com os livros para começar a ativar e desenvolver aspectos cerebrais relacionados à leitura, como atenção, concentração, expansão do vocabulário e capacidade de externalizar os seus sentimentos. Utilizamos livros ligados a faixa etária dos alunos, que, nesta idade, são cheios de ilustrações que chamam; além de recursos que auxiliam na contação de histórias, como áudios e fantoches”, explica a professora Isllem. 

Na biblioteca, sob a responsabilidade dos pais, os alunos podem levar os livros para casa, fazendo do lar uma extensão da história que mais lhe chamou a atenção e criando momentos que estimulam o desenvolvimento do hábito da leitura, estreitam os laços afetivos familiares e criam memórias que sempre serão lembradas. 

Mas como se tornar pais e professores que inspiram os pequenos à leitura? Qual o segredo dos adultos que viram crianças que gostavam de livros infantis se tornarem adolescentes, jovens e adultos leitores assíduos? Apesar de cada um ter a sua forma de contar uma história e de incentivar o manuseio dos livros, todos eles têm algo em comum: a paixão verdadeira pela leitura. O exemplo é a maior inspiração 


voltar